blog Eu não preciso de um manual do(a) Au Pair! Eu sou capaz de me comunicar corretamente!

Eu não preciso de um manual do(a) Au Pair! Eu sou capaz de me comunicar corretamente!

Postado por 31 de janeiro de 2018 • Tempo de leitura: 4 minuto(s)
Blog

Quando nosso segundo filho nasceu, percebemos que precisávamos de ajuda com as crianças, se eu quisesse manter meu plano de voltar a trabalhar logo. Uma escolinha que visitamos não atendeu a nossa expectativa, a outra não aceitava crianças menores de três anos, então meu marido e eu finalmente concordamos que uma Au Pair poderia ser uma boa solução (Como pesquisamos e descobrimos nossa Au Pair é um história diferente, que certamente será o tópico de outra postagem no blog..).

Nossa primeira Au Pair veio da Rússia, vamos chamá-la de Antonina.

Ela era muito legal com as crianças, mas muito desorganizada, não só com as crianças, mas especialmente quando se tratava de tarefas domésticas.

Antonina falava bem inglês, além de seu alemão básico, então sempre que sentíamos que ela não nos tinha entendido em alemão, mudávamos para o inglês. Ainda assim, meu marido muitas vezes estava muito chateado quando eu voltava do trabalho à noite e me dizia: "Perguntei a Antonina se ela me entendeu, ela disse que sim e, então, fez algo completamente diferente".

Eu tentei fazê-lo entender que Antonina, é claro, pensou que ela o tivesse entendido, então sua resposta foi honesta, mas, devido à falta de habilidades no idioma, ela não conseguiu entender direito - ou às vezes simplesmente se esqueceu do assunto, já que não pareceu importante para ela.

Então eu estabeleci reuniões semanais com a Antonina, onde conversávamos sobre os mal-entendidos da semana e os esclarecíamos - primeiro apenas falando, mas logo percebi que funcionou muito melhor quando eu fiz isso em forma escrita, assim ela podia ler novamente quand estava no quarto dela, eventualmente usando seu dicionário.

Depois de algumas semanas, percebi que provavelmente faria sentido não fazer isso por escrito (senti que às vezes eu repetia as mesmas coisas uma vez após a outra), mas criei um documento no computador. Eu configurei um "manual" para nossos filhos, a primeira versão contendo como confortar as crianças, várias dicas de segurança, regras sobre comer, beber e disciplina, bem como algumas dicas sobre jogos para brincar com as crianças (ambos ainda não falavam naquela época, então eles não conseguiam dizer o que eles queriam).

Nossa segunda Au Pair veio da Mongólia, vamos chamá-la de Tsetseg.

Desta vez estávamos muito mais preparados, então já tínhamos uma versão impressa de "Dicas para Tsetseg" que entregamos a ela desde o início. Sempre que identificávamos assuntos que geravam dificuldade, os adicionávamos ao arquivo e imprimíamos a versão atualizada.

Ao longo do tempo meu marido também concordou que configurar um "manual" fazia sentido, pois as coisas estavam funcinando como gostaríamos.

Em duas semanas, Visola, nossa sexta Au Pair chegará - é a primeira vez que receberemos uma Au Pair da África e já estamos muito curiosos para conhecê-la.

Desta vez, já lhe enviamos o que chamamos de "manual da Au Pair" com antecedência. Com certeza, encontraremos coisas novas para adicionar nas próximas semanas e meses, pois as circunstâncias mudam (nossos filhos aprendem coisas novas todos os dias, mudanças diárias de rotinas,...) e, além disso, depende do contexto cultural da Au Pair o que parece ser lógico para ela fazer e o que precisa ser explicado...

Se você está curioso sobre o nosso manual da Au Pair, você pode encontrá-lo em https://connectaupair.world/au-pair-handbook/samples/ 

Tenha um excelente dia com sua família e sua(eu) Au Pair!

Helga

PS: Eu adoraria receber seus comentários sobre o nosso manual da Au Pair e também ouvir sobre como você comunica suas regras e resolve mal-entendidos - deixe um comentário abaixo!

31 de janeiro de 2018
Postado por
Family Germany